Quando o assunto é aviso prévio, muitas nuances podem afetar prazos e o que você deve receber; entenda caso a caso

Sair de um emprego pode ser um processo complicado, se você não souber os seus direitos. Mas a gente está aqui para ajudar com isso 🙂

Por isso, hoje vamos descrever os processos que envolvem cada caso.

Em primeiro lugar, é preciso dizer que diferenças nesses processos se você for demitido ou pedir demissão. Por isso, vamos começar pelas diferenças.

Empresa pode emprestar dinheiro para funcionário?

Como funciona se eu pedir demissão?

Quando quem pede demissão é você, funcionário, precisa cumprir ou pagar o aviso prévio.

Aviso prévio é, em resumo, o nome que a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) usa para descrever a comunicação antecipada do funcionário daquela vaga.

Basicamente, então, você deve informar ao empregador que sairá da vaga com 30 dias de antecedência.

Existem três tipos de aviso prévio:

  • O trabalhado: quando você avisa da demissão e trabalha nos 30 dias seguintes. A empresa paga pelo aviso prévio;
  • O indenizado: quando você pede demissão, mas a empresa lhe paga o aviso mesmo sem você cumprir os 30 dias
  • E o não cumprimento do aviso: quando pede demissão, não cumpre os 30 dias e a empresa não lhe indeniza por isso.

Ou seja, nos dois primeiros casos, você recebe o aviso prévio. No entanto, no terceiro, não. A diferença entre o indenizado e o não cumprimento, no final das contas, é uma opção da empresa por lhe indenizar ou não.

Estou negativado. Como limpar o nome?

O que eu recebo se eu pedir demissão?

Como você já deve ter reparado, há diferença no que você recebe entre os tipos de aviso prévio. Então, vamos caso a caso:

  • Aviso prévio trabalhado: você recebe 13º proporcional, férias e salário também proporcionais, assim como o valor equivalente aos dias do aviso prévio;
  • Em caso de aviso prévio indenizado: 13º e férias proporcionais e saldo de salário, assim como uma indenização pelos dias do aviso prévio;
  • E no não cumprimento do aviso prévio: recebe 13º, férias e salário dos dias trabalhados. Não inclui valor de aviso prévio.

Quando é você quem escolhe pedir demissão, não tem direito de pedir pelo seguro desemprego nem a sacar o saldo do FGTS. Afinal, fica entendido que você optou por mudar de emprego ou ficar sem trabalhar.

Empréstimo habitacional: o que é e como funciona?

Como funciona se eu for demitido?

Agora, falando de outro cenário: quando a empresa opta por desligar um funcionário. Nesse caso, também existem dois desfechos possíveis:

  • Demissão sem justa causa;
  • E demissão por justa causa.

Quando a demissão é sem justa causa, o funcionário pode cumprir o aviso prévio ou ser indenizado, seguindo a mesma lógica de quando se demite.

No entanto, existem duas diferenças no aviso prévio quando o funcionário é demitido sem a justa causa e a empresa não indeniza o aviso prévio:

  • Se ele cumprir 30 dias, deverá sair 2h mais cedo ao longo do mês do aviso;
  • Ou, então, trabalha por 23 dias, com horário completo.

E, claro, caso o funcionário decida por que não quer cumprir o aviso prévio, vai se enquadrar no aviso prévio não cumprido.

Agora, quando a demissão é por justa causa, o funcionário é liberado no dia, mas terá diversos descontos em sua rescisão.

Vale dizer que a demissão por justa causa é rara. Afinal, o funcionário deve ter feito algo muito grave, como roubar ou cometer algum crime, para que a demissão se enquadre na justa causa.

Enfim, vamos saber o que recebem em cada caso?

Consórcio: o que é e como fazer?

O que eu recebo se eu for demitido?

Mais uma vez, a resposta caso a caso:

  • Sem justa causa: você recebe o salário, o 13º e as férias proporcionais, mais um terço de seu valor, mais o aviso prévio. Aqui, você pode pedir o seguro desemprego e sacar o saldo do FGTS.
  • Com justa causa: você recebe o saldo de salário e as férias vencidas, acrescidas de um terço de seu valor, e 13º. Não tem direito a aviso e nem ao seguro desemprego ou ao saldo do FGTS.

E se não receber tudo o que deveria?

Deixamos essa para o final porque ela vale para qualquer caso, seja por decisão do funcionário ou demissão, com justa causa ou sem.

Em primeiro lugar, é seu direito receber um holerite ou um documento que mostre todos os valores que foram descontados e recebidos por você na sua rescisão. Logo, esse é o primeiro direito.

O segundo é receber tudo dentro do prazo. A CLT estabelece que você deve receber as verbas rescisórias no primeiro dia útil após o término do aviso prévio, quando ele é trabalhado, ou em até 10 dias quando o aviso prévio é indenizado.

E, por fim, caso você não receba tudo o que lhe é devido, você deve contatar a empresa e pedir explicação. Caso ela se recuse a se justificar, uma opção é procurar o sindicato da sua categoria ou, então, entrar em contato com um advogado trabalhista.

Caso você precise de um advogado, o processo de reclamação pode ser um acordo ou um processo trabalhista. Em geral, a Justiça Trabalhista demora, mas faz cumprir as determinações da CLT.

Fui demitido (a), posso sacar o FGTS?

Enfim, ficou com alguma dúvida sobre o aviso prévio? Já sabe, né? Qualquer pergunta, comente!

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.