Refinanciamento: como funciona o de imóvel, o que precisa e quantas vezes é possível fazer, a situação do bem e a relação com o banco

O empréstimo com garantia de imóvel é também chamado de refinanciamento de imóvel ou home equity e é uma modalidade que necessariamente precisa do bem imóvel do cidadão. Assim como em refinanciamento de veículo é utilizado o bem móvel do solicitante. Em ambas as modalidades um bem é utilizado como garantia do valor que foi solicitado ao cliente e emprestado pelo banco ou financeira.

A modalidade conta com taxas de juros mais baixas, quando comparada as demais, por ser mais segura para o banco e com o aumento dos pedidos de empréstimo, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), muitas dúvidas podem ser geradas pela população. Por isso, abaixo estão as principais questão sobre o refinanciamento de imóvel e sua funcionalidade.

Auxílio Brasil: quem tem direito?

Como funciona o refinanciamento de um imóvel?

O refinanciamento de imóvel é uma modalidade de crédito, também conhecida como empréstimo com garantia de imóvel. Isso porque, esse tipo de produto utiliza um bem imóvel do solicitante, como casas, apartamentos ou terreno, como garantia do valor que foi emprestado. Dessa forma, o funcionamento do refinanciamento de imóvel se dá como outras modalidades, com a diferença de que um imóvel pode ser usado como forma de pagamento em situações de inadimplência do solicitante.

Então, o banco credor poderá utilizar a casa do cidadão que solicitou o empréstimo para arcar com as parcelas que não foram pagas por ele. Contudo, essa ação é extrema e não acontece com frequência, pois as instituições financeiras em geral possuem opções de renegociação com seus clientes para que o bem não seja perdido. Além dessa modalidade, existe o refinanciamento de veículo que utiliza um bem móvel, como carro, moto ou caminhão como garantia e tem o funcionamento quase igual ao do imóvel.

O que precisa para refinanciar um imóvel?

Para refinanciar um imóvel é preciso que algumas questões sejam consideradas, isso porque as instituições podem exigir condições em relação ao bem que será utilizado, que geralmente são:

  • Estar no nome do solicitante do empréstimo;
  • Em bom estado;
  • Com documentação atualizada;
  • E com 50% do valor do imóvel já quitado;

Além disso, o cidadão precisa se atentar aos documentos que são solicitados, como:

  • Comprovante de renda fixa (holerite, extrato bancário, imposto de renda ou pro-labore);
  • Conta bancária;
  • Registro Geral (RG) ou da Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Comprovante de residência (no nome do titular do pedido);
  • Certidão de Matrícula do Imóvel;
  • Foto com documento de identidade;
  • Certidão de Matrícula do Imóvel;
  • Imposto Sobre Território Urbano (IPTU);
  • Certidão Negativa de Tributos Imobiliários;

Porém, as informações solicitadas devem ser revistas pela instituição escolhida pois cada uma pode exigir diferentes documentos e dados que são relevantes para o processo de aquisição do crédito. As demais etapas serão informadas pelo banco ao cliente no momento de contato.

Como economizar dinheiro ganhando pouco?

Quantas vezes posso refinanciar um imóvel?

O refinanciamento de imóvel pode acontecer quantas vezes for necessário para o solicitante, porém para isso ele precisa estar de acordo com as exigências do banco escolhido. Além disso, o empréstimo com garantia de imóvel pode ser feito em um bem por vez, isso significa que o mesmo imóvel não pode ser usado como garantia em dois empréstimos diferentes. Então, para usar o imóvel o solicitante deve quitar o crédito já existente, se houver, e depois contratar o próximo desejado.

O imóvel precisa estar quitado para refinanciar?

A situação do imóvel é uma questão avaliada pelos bancos e financeiras que oferecem a modalidade de refinanciamento de imóvel. Cada instituição pode exigir e avaliar informações diferentes sobre a casa, mas em geral, é comum que seja solicitado que o imóvel esteja com 50% do valor já quitado. Então, não é comum que seja solicitado um imóvel 100% quitado, mas esses podem possuir vantagens.

Em geral, a situação do bem não é a única análise feita pelo banco, também são avaliados informações sobre o solicitante e feitas análises de crédito e score para liberar o empréstimo solicitado. Por isso, um fator não é garantia da não liberação do refinanciamento, sendo um conjunto de questões que são revistas pelo banco. Então, em qualquer situação é válido consultar as instituições e realizar a simulação do crédito desejado.

Calendário auxílio emergencial: datas serão divulgadas pelo Whatsapp

No refinanciamento de imóvel, a casa passa a ser do banco?

No refinanciamento de imóvel, o banco credor do empréstimo passa a ter direito de usar o imóvel do solicitante como forma de pagamento em casos de inadimplência. Ou seja, se as parcelas não forem pagas, a instituição pode utilizar a residência no nome do cidadão para que a dívida seja quitada. Isso acontece pois nessa modalidade, o banco ou financeira que realizou o credito, passa a ser dona indireta do bem do cidadão, enquanto ele possui o usufruto dela.

Dessa forma, a casa usada no refinanciamento passa a ser do banco de maneira indireta e a perda dela é uma ação extrema, já que é possível realizar negociações para que isso não aconteça. Então, a questão da casa é preciso ser analisada antes da contratação, porém não deve ser um fator de recusa do empréstimo, já que esse tipo de situação pode ser evitada em conjunto com o banco.

Posso perder meu imóvel se eu atrasar a parcela do empréstimo com garantia?

E então, restou mais alguma dúvida sobre quem tem direito ao auxílio Brasil? Se sim, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.