Empréstimo com garantia de imóvel é um produto financeiro com maiores valores disponíveis e menores taxas de juros

O atual presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, tem citado o home equity diversas vezes em seus discursos, enfatizando o poder de movimentação financeira deste produto. O home equity também é conhecido como empréstimo com garantia de imóvel, ou ainda refinanciamento de imóvel. Os três termos referem-se à mesma coisa.

De acordo com Campos Neto, o empréstimo com garantia de imóvel movimenta cerca de R$ 10 bilhões atualmente. Contudo, este produto teria potencial de liberar até R$ 500 bilhões, com programas de incentivo e expansão do conceito para a modalidade “guarda-chuva” do empréstimo, muito comum nos Estados Unidos da América (EUA).

Em resumo, a modalidade guarda-chuva permitira que o mesmo imóvel pudesse ser utilizado como garantia de mais de um empréstimo. Nas diretrizes atuais do sistema financeiro, isso não é permitido.

Mas antes de se pensar em ampliar este produto, a população brasileira deve compreender como funciona esta concessão de crédito, que conta com as taxas de juros mais baixas do mercado.

Veja também – Faça a cotação e receba ofertas pré-aprovadas com o simulador de empréstimo pessoal!

O que é empréstimo com garantia de imóvel?

O empréstimo com garantia de imóvel é uma linha de crédito com liberação de altos valores e menores taxas de juros. Diferentemente do crédito pessoal, que não solicita nenhuma garantia para obtenção do valor emprestado, no refinanciamento de imóvel a casa ou apartamento são utilizados como garantia.

Com a casa como garantia, as pessoas tendem a ter maior receio de ficarem inadimplentes e perderem o bem. Deste modo, as taxas de adimplência, ou seja, de pessoas que pagam em dia as parcelas do crédito, costumam ser mais altas. Assim, as instituições financeiras oferecem taxas de juros mais baixas nessa modalidade, do que no crédito pessoal, por exemplo.

Empréstimo com garantia de imóvel é o mesmo que hipoteca?

Não. As diferenças destes produtos financeiros estão nas taxas de juros e no contrato estabelecido. Para simplificar as duas modalidades de crédito:

  • Hipoteca: se houver inadimplência, o processo de obtenção do bem pelo banco, fintech ou financeira é demorado. A Justiça deve ser acionada, e o processo é custoso para a empresa. Assim, as taxas de juros desse crédito são mais altas;
  • Empréstimo com garantia de imóvel: se houver inadimplência, o processo de obtenção do bem pela instituição financeira é mais rápida. Com o contrato de alienação fiduciária padrão deste tipo de concessão de crédito, basta uma mudança oficial em um cartório, sem necessidade de acionar a Justiça e com custos mais baixos para a empresa financeira. Assim, as taxas de juros desse crédito costumam ser mais baixas;

É importante ressaltar que ao oferecer estes produtos aos clientes, o objetivo das empresas financeiras não é que o consumidor fique inadimplente para que o bem seja tomado. Pelo contrário, esse processo gera custos às instituições, e o ideal para elas é que a pessoa pague em dia as parcelas do empréstimo.

Veja também – O que é refinanciamento de veículo?

Qual a taxa de juros do empréstimo com garantia de imóvel?

Na FinanZero, é possível contratar o empréstimo com garantia de imóvel com juros a partir de 0,89% ao mês. Os valores disponíveis ficam entre R$ 40 mil e R$ 1 milhão, a serem parcelados em até 240 meses!

Ficou com mais alguma dúvida sobre o refinanciamento de imóvel? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.