Consórcio: como funciona essa modalidade e quais são as principais vantagens e desvantagens deste modelo de negócios.

Para explicar melhor o assunto, vamos mostrar como o consórcio funciona e quais são as vantagens e desvantagens desse negócio. Acompanhe.

Como negociar dívidas com a CAIXA?

O que é consórcio?

Essa é uma modalidade que une um grupo de pessoas, que desejam comprar o mesmo bem, seja um imóvel, veículo ou até mesmo um serviço.

Todos os integrantes do grupo precisam pagar um determinado valor mensalmente, que vai se somando em uma espécie de poupança.

O contrato possui um período estipulado e em seu prazo final, todos os participantes recebem uma carta de crédito. A partir daí é possível ter acesso ao que foi adquirido.

Mas é importante ressaltar que não há a necessidade de esperar o fim do contrato. Todos os participantes do grupo podem fazer um lance, ou seja, podem oferecer a antecipação das parcelas. Nesse caso, o indivíduo recebe o bem mais rápido.

Dentro da modalidade de consórcio, as empresas têm oferecido casas, apartamentos, imóveis comerciais, motos, caminhões, carros de passeio, viagens etc.

Como economizar na construção?

Quem organiza os grupos do consórcio?

Existem empresas que são as administradoras do consórcio e ficam responsáveis por manter os grupos e organizar todo o processo.

Estas instituições são fiscalizadas pelo Banco Central, que procura garantir segurança aos consumidores. Por isso é essencial conferir se a administradora encontrada está regulamentada na instituição.

Todo o processo do consórcio é respaldado por um contrato, assinado logo no início da negociação.

Na hora de iniciar o negócio é preciso que a administradora responsável informe todos os dados relevantes ao cliente. O contratante precisa estar ciente do prazo máximo do contrato, valor das parcelas, total do bem adquirido e número de cotas.

Posso vender uma casa que está refinanciada?

Como funciona?

O consórcio pode ser feito por pessoas físicas ou jurídicas. Nesse caso, um grupo se reúne para adquirir um bem em comum.

Os grupos são criados e gerenciados por uma administradora, que precisa estar regularizada perante o Banco Central (BC).

Cada integrante do grupo paga um valor mensal, estipulado no início do contrato. Esse dinheiro vai se somando em uma espécie de poupança conjunta.

Cada grupo possui um número de cotas e prazos pré-definidos. O valor do bem a ser adquirido é dividido pela quantidade de membros do grupo e pelo prazo estipulado.

Todos os meses, as administradoras realizam uma espécie de sorteio, onde um dos membros pode ser contemplado e assim tem acesso ao bem mais rápido. Além disso, nesse mesmo período, os demais membros do grupo podem dar lances e assim conseguir a carta de crédito.

Quando foi criada a modalidade de consórcio?

Esse formato de financiamento é uma criação brasileira e se iniciou nos anos 1960.

O primeiro grupo formado foi de funcionários do Banco do Brasil, que tiveram a ideia de criar um fundo onde pudessem juntar dinheiro para que todos pudessem comprar seus veículos.

Os primeiros consórcios foram destinados à compra de veículos e isso ajudou muito no crescimento das montadoras no Brasil.

Quais são os tipos de consórcios disponíveis?

Os consórcios mais conhecidos são os dos ramos imobiliário e automobilístico, mas existe uma variedade de modalidades.

Veja quais são os tipos disponíveis no mercado:

Consórcio de eletrodomésticos

Essa é uma alternativa para quem deseja fugir dos crediários nas lojas. Aqui, o consumidor pode adquirir geladeiras, computadores, fogões, tablets, entre outros.

Consórcio de veículos

Esse é muito tradicional e um dos mais conhecidos, mas você sabia que estão inclusos os aviões e barcos?
Nessa modalidade é possível comprar carros, caminhões, motos, aeronaves, entre outros meios de transporte.

Consórcio de imóveis

O consórcio de imóveis apresenta condições mais em conta para quem deseja comprar a casa própria. Além disso, nesse caso, o consumidor pode adquirir imóveis rurais, comerciais, apartamentos etc.

Consórcio para prestação de serviços

Essa não é uma modalidade muito conhecida, mas pode ser uma boa oportunidade para quem está com pouco dinheiro. Nesse tipo de consórcio estão inclusos serviços de reforma de casa, cirurgias plásticas, festas de casamento e de debutantes, viagens, entre outros.

Quais as diferenças entre financiamento e consórcio?

O consórcio costuma ter condições melhores aos consumidores, pois é mais econômico. Em contrapartida, nesse caso é preciso ter mais paciência, pois o acesso ao bem adquirido pode demorar mais.

O financiamento, mesmo com juros maiores, permite que o comprador receba o bem com mais rapidez. Pode se considerar que, nessa alternativa, o consumidor consegue ter acesso imediato à sua aquisição.

Outra grande diferença é que no financiamento, na maioria dos casos, há a necessidade de dar entrada, o que não ocorrer no consórcio.

Quais são as vantagens e desvantagens do consórcio?

O consórcio possui diversas vantagens, que acabam atraindo quem deseja adquirir um determinado produto, mas não possui o dinheiro na hora. Mas não existem apenas benefícios. Veja abaixo as principais vantagens e desvantagens dessa modalidade de negócio:

Principais vantagens

Não precisa de entrada

Um dos grandes atrativos do consórcio é que não há a necessidade de pagar uma entrada. Isso é o que diferencia o consórcio dos financiamentos, onde é preciso ter um capital para iniciar o processo.

Parcelas fixas

Como o contrato é firmado logo no início, o consumidor já fica sabendo quanto vai pagar mês a mês. Assim, fica mais fácil manter um controle financeiro para terminar o contrato sem inadimplência.

Processo simples

Outro ponto positivo é que no consórcio não é preciso apresentar garantias. O processo de adesão é mais prático para os clientes.

Boas condições

Os juros dessa modalidade costumam ser mais baixos e até mesmo inexistentes, se comparado ao financiamento tradicional. Além disso, a quantidade de prestações costuma ser maior que em casos de outros parcelamentos.

Principais desvantagens

Demora

A maior desvantagem do consórcio é a possível demora para ter acesso ao bem adquirido. Além disso, nessa modalidade é preciso depender da sorte, pois você pode ser sorteado logo no início ou apenas no fim do contrato.

Dependência do grupo

Outra questão é a dependência dos participantes do grupo, pois não é possível garantir que todos continuem no consórcio até o final.

O risco de inadimplência neste tipo de contrato é um pouco maior.

O que acontece se eu for contemplado?

Se no meio do consórcio, você for contemplado é preciso seguir algumas recomendações para prosseguir.

O primeiro passo é oferecer a garantia necessária para ter acesso ao bem adquirido. Em resumo, você deve apresentar outro bem ou conseguir um fiador.

Vale ressaltar que o fiador não pode ter restrições, ou seja, não deve ter o nome sujo e nem protestos. Além disso é obrigatório ser maior de 18 anos.

O fiador não pode ser cônjuge do consorciado, mas não há outras restrições quanto ao parentesco.

Na etapa seguinte é preciso apresentar os documentos pessoais, como o RG, CPF, ficha cadastral atualizada, comprovante de endereço e comprovante de renda.

Alguns documentos podem variar de acordo com cada administradora.

Por fim, o bem deve ser avaliado e isso depende de cada tipo de aquisição. No caso dos imóveis, sejam eles usados ou novos, será necessário apresentar o atestado de legalidade da propriedade. Esse documento é essencial para que não haja dúvidas de que o imóvel não tem irregularidades jurídicas.

No consórcio de veículos é preciso informar modelo, cor e ano do veículo. Caso ele seja usado, outras informações serão necessárias como o chassi, por exemplo. Além disso, uma vistoria precisará confirmar que o automóvel está em boas condições.

Em resumo, cada tipo de consórcio possui suas particularidades. Ao ser contemplado, o ideal é que você tire todas as suas dúvidas quanto aos próximos passos.

Conclusão

O consórcio pode ser uma ótima alternativa para quem quer comprar um determinado bem, mas não tem condições imediatas. Mas para isso é imprescindível avaliar todas as opções disponíveis.

E é importante lembrar que para optar pelo consórcio é extremamente necessário ter paciência, pois se trata de um processo mais demorado.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essa modalidade, faça uma análise se esse negócio é o que procura.

Você tem mais alguma dúvida sobre consórcio? Caso tenha, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.